Festas & Eventos

Exposições MAM – 13/02 a 30/03 – Nova exposição fotográfica no MAM retrata sobre Salvador e a Bahia

05 fev 2020 • por Katy Cardoso • 0 Comentários

No dia 13 de fevereiro, o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM) sediará a abertura de uma nova exposição fotográfica.

No dia 13 de fevereiro, o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM) sediará a abertura de uma nova exposição fotográfica. O projeto é dividido em duas temáticas: “Salvador, do Povo, de Lina e de Todos os Santos” e “Cores, Amores, Recantos…Bahia”. Ao todo, são cerca de 80 obras de 30 fotógrafos baianos que falam sobre Salvador e a Bahia, além de fazer referência à criadora do museu, Lina Bo Bardi, e aos 60 anos do equipamento.

A exposição, que estará disponível para visita gratuita no MAM até dia 30 de março, é uma realização dos fotógrafos Giácomo Mancini, Reinaldo Giarola e Tarciso Albuquerque, e da Imagebox, grupo que reúne sete fotógrafos que moram na Bahia.

Na Capela, estará a exposição “Salvador, do Povo, de Lina e de Todos os Santos”. Trata-se de fotografias que mostram o cotidiano do baiano que Lina conheceu quando chegou a Salvador, em 1958. São imagens captadas por fotógrafos em suas andanças pelas ruas, festas populares e locais conhecidos e até desconhecidos da cidade. Dentre elas, imagens de baianas, puxadas de rede, rodas de capoeira e tantas outras que fazem parte da cultura brasileira.

No Casarão, também conhecido como Salão Principal, os visitantes poderão encontrar a exposição “Cores, Amores, Recantos…Bahia”. Nas obras expostas, o objetivo é apresentar ao público cenas que sempre encantam todos que conhecem o Estado. “Do litoral ao sertão, da chapada ao cerrado. A Bahia é múltipla, é bela, tem cores e encantos que são próprios. A gente, a cultura, os costumes, o trabalho. As obras mostram essa diversidade maravilhosa que torna a Bahia tão única”, resume Giácomo Mancini, um dos responsáveis pela exposição.

*Lina Bo Bardi*

A arquiteta Lina Bo Bardi nasceu na Itália, em 1914. Formou-se em arquitetura na Universidade de Roma, no ano de 1930. Em 1946, após o fim da II Grande Guerra, ela mudou-se para São Paulo. Em 1958, Lina vem para Salvador para uma série de palestras e aqui se encanta com a arte popular e cria o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM). Foi ela quem abraçou o desafio de revitalizar o Solar do Unhão. E, como em tantos outros projetos, a arquiteta deu em Salvador uma aula de como unir o passado à modernidade, com elegância e simplicidade, com cultura e atualidade.

Por: Giácomo Mancini – Jornalista / Fotógrafo – IMAGEBOX e Ana Rosa Almeida – Assessoria de Comunicação / IPAC

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post